MSR – MINISTÉRIO DOS ESPORTES E DA RECREAÇÃO – Austrália


O PROCESSO DE PLANEJAMENTO
ANÁLISE DAS NECESSIDADES
ESTUDO DE VIABILIDADE
PROJETO
CONSULTORES DE PROJETO
PROVISÃO CONJUNTA / USO COMPARTILHADO
PRINCIPIOS BASICOS PARA PROVISAO DE INSTALAÇOES
FUNDOS DE CAPITAL
SOCIOS POTENCIAIS
GLOSSARIO
RECURSOS DO MSR
LEITURA COMPLEMENTAR


Planejamento de Instalações

A provisão para uma instalação de recreação pode melhorar significativamente a qualidade de vida em um meio comunitário. As atividades mantidas dentro de instalações de recreação encorajam a participação, promovem a saúde, o bem estar e estimulam o senso de comunidade.

Contudo, planejar uma instalação de recreação é uma tarefa envolvente e às vezes difícil. Fazer a “coisa certa” pode consumir tempo e exigir o concurso de diversas experiências e capacidades, as quais são freqüentemente encontradas na própria comunidade.

Este documento fornece uma visão do processo de planejamento para uma instalação de recreação. Explora os benefícios da instalação compartilhada, os princípios básicos de provisão de instalações, fontes de fundos de capital e identifica diversas fontes de consulta para planejamento.

Inclui:

  • Plano de Recreação.
  • Análise das Necessidades
  • Estudo de Viabilidade
  • Projeto
  • Consultores de Projeto
  • Instalações de Uso Compartilhado
  • Princípios Básicos para Provisão de Instalações.
  • Fundos de Capital
  • Recursos do MSR (Ministério dos Esportes e da Recreação)

O Plano

A primeira tarefa para o planejamento de instalações de esportes ou recreação é a preparação de um plano estratégico de recreação. Este plano identifica instalações existentes e serviços, as amplas necessidades de recreação da comunidade e a ação requerida para atingir essas demandas. O plano descreve as prioridades para instalações de esportes, recreação e serviços, assegurando que a provisão é adequada e suficiente.

A preparação de um plano pode identificar um conjunto de necessidades de desenvolvimento. Se o plano identifica a necessidade para a construção de uma instalação específica de esporte ou recreação, inicia-se, então, o processo de planejamento.

topo


O Processo de Planejamento de Instalações

Plano de Recreação

Valores Corporativos
Consulta à comunidade
Formulação de Políticas
Recomendações e estratégias

Avaliação das Necessidades

Metas e objetivos da Corporação
Revisão das provisões existentes
Consulta comunitária
Determinação das necessidades
Desenvolvimento da proposta

Decisão

Abandonar proposta
Renovar instalação existente ou
Desenvolver nova instalação

Estudo de Viabilidade

Análise de Mercado
Minuta de plano gerencial
Plano conceitual
Viabilidade financeira

Decisão

Implementar, corrigir, adiar, escalonar
em etapas ou abandonar a proposta

Projeto

Plano de gerenciamento
Resumo de metas do projeto
Equipe do projeto
Projeto esquemático
Desenvolvimento do projeto
Documentação

Construção

Construção e entrega

Avaliação

Instalação em operação
Avaliação do projeto
Análise pós-construção

topo

Análise das Necessidades


O primeiro passo no processo de planejamento da instalação é preparar um estudo analítico das demandas específicas da instalação. Este exercício verificará se é realmente necessária uma nova instalação ou se a necessidade pode ser atendida de uma outra forma. Isto também determinará sua dimensão mais adequada e os tipos de componentes funcionais. Os elementos básicos de uma análise das necessidades específicas de uma instalação são:


  • Identificação das atuais e futuras tendências
  • Análise de indicadores sociais
  • Revisão das instalações e dos serviços existentes
  • Avaliação de instalações e serviços similares oferecidos em comunidades semelhantes
  • Pesquisa das necessidades da comunidade, a fim de identificar demandas, aspirações e futuro potencial.

A análise das necessidades deve envolver ampla consulta. Discussões devem ocorrer com membros da comunidade, agências e grupos representativos (por exemplo: Departamento de Educação), autoridades governamentais locais, clubes esportivos / associações e outros provedores de serviços de esportes e recreação.

Uma vez as informações reunidas e estudadas, a análise de necessidades recomendará abandonar a proposta, renovar, combinar instalações existentes ou desenvolver uma nova instalação.



Estudo de Viabilidade

Se a análise das necessidades recomendar o desenvolvimento de uma nova instalação, o próximo passo será preparar um estudo de viabilidade. Um estudo de viabilidade irá refinar o conceito da instalação que será testado para determinar se a e mesma irá “funcionar” tanto prática quanto financeiramente. Os elementos básicos do estudo de viabilidade são:


  • Esboço do plano de gerenciamento
  • Resumo do projeto
  • Análise das opções de localização
  • Busca de opções técnicas
  • Orçamentos
  • Análise da viabilidade social e econômica

Consultas à comunidade devem ocorrer ao longo do estudo de viabilidade para determinar as exigências particulares referentes a dimensões, utilização, acesso, funcionalidade e capacidade de sustentação.

Uma vez concluído, o estudo de viabilidade deverá permitir uma decisão objetiva com respeito à alocação de recursos para a instalação proposta. Isto pode resultar em prosseguir, modificar, adiar, escalonar ou cancelar o projeto.

topo


Projeto

Se o estudo de viabilidade recomenda construir uma instalação, parte-se para a fase de projeto. É neste ponto que o plano de gerenciamento é finalizado. Um resumo do projeto é desenvolvido (do cliente para o os projetistas). Seleciona-se um consultor e a equipe de projeto.

Um plano de gerenciamento descreve como a instalação será usada pela comunidade / grupo de usuários e deve incluir o seguinte:


  • Programas e serviços a serem oferecidos e como serão fornecidos.
  • A estrutura gerencial proposta.
  • Estratégia de manutenção da instalação.
  • Um orçamento anual de operação detalhando as receitas e as despesas projetadas.

O plano de gerenciamento é então usado para desenvolvimento de um resumo do projeto, ou seja, os requerimentos funcionais de grupos de usuários potenciais e a demanda das atividades são traduzidos num conjunto de especificações de projeto. O resumo abrangente de metas do projeto é crítico para que se atinjam as expectativas do cliente e da comunidade. Os elementos chave do resumo do projeto são:


  • Detalhes da localização.
  • Um diagrama esquemático ou pelo menos uma listagem das necessidades específicas.
  • Padrões de acabamentos.
  • O orçamento do projeto / limites de custos.
  • As datas definidas para início e conclusão da instalação.

Os elementos do resumo de projeto são incorporados em desenhos preparados pelo consultor ou consultores de projeto. Uma análise de custo detalhada é elaborada e todas as aprovações estatutárias são obtidas. Finalmente, prepara-se toda a documentação contratual, os licitantes são convidados e um construtor é designado.

topo


Consultores de Projeto

A equipe de projeto consiste de consultores de projetos envolvidos no desenvolvimento do projeto da instalação. No caso de projetos menores não há necessidade de designar consultores de projeto. Contudo, para projetos de médio e grande porte os seguintes profissionais são normalmente incluídos na equipe de projeto.


  • Arquiteto
  • Engenheiro de Estruturas
  • Engenheiro Mecânico e Elétrico
  • Especialista em custos / Supervisão de controle de materiais
  • Arquiteto Paisagista (se necessário)
  • Consultor em Acústica (se necessário)

Para projetos maiores, convém considerar a designação de um gerente de projeto profissional. Esse gerente seria encarregado de gerenciar as atividades da equipe profissional do projeto e, posteriormente, a construção.

Não sendo designado o gerente de projeto, geralmente caberá ao arquiteto coordenar todos os outros profissionais envolvidos.

topo

Provisão Conjunta / Uso Compartilhado da Instalação

Há muitos benefícios a serem ganhos através da provisão com uso compartilhado das instalações de esportes e recreação e que incluem:

  • Menos duplicação e maximização do uso da instalação e seus serviços.
  • Criação de um núcleo comunitário – um ponto focal de atividade comunitária.
  • Custos de capital divididos.
  • Redução de custos operacionais.
  • Aumento do senso de propriedade da comunidade.
  • Acesso a um leque maior de serviços e capacitações.
  • Redução de vandalismo.

As bases do uso e disponibilidade compartilhada objetivam ampliar o acesso, maximizar a utilização e racionalizar os custos de modo a tirar o melhor proveito possível da instalação. Contudo, para que a instalação compartilhada tenha sucesso, todos os interessados precisam refletir sobre suas verdadeiras necessidades de acesso e uso, assegurando haver oportunidade real de compatibilidade antes do plano avançar para a fase de projeto. O acordo de gerenciamento para o uso compartilhado deve ser amplo, definindo localização, aportes financeiros, gerenciamento e uso. Contudo, para o compartilhamento ser bem sucedido é necessário flexibilidade em sua aplicação, confiança, comunicação transparente e alto espírito de cooperação.

Onde viável ou conveniente, a co-localização, a provisão conjunta e o uso compartilhado das instalações de esportes e recreação podem resultar na melhor solução para o esporte, clube e escola da comunidade. Essas opções devem ser exploradas amplamente com o Departamento de Educação, associações esportivas estaduais, organizações comerciais, conselhos comunitários e grupos locais de esportes e recreação, antes que se inicie qualquer ação para ampliar ou construir uma nova instalação.

topo

Princípios Básicos para a Provisão de Instalações

Abaixo quatro princípios básicos para a realização de instalações. Juntos eles fornecem um guia para os provedores de instalações de esportes e recreação.

Planejamento

  • Assegure-se de que a instalação proposta suporta o plano estratégico da organização.
  • Assegure-se de que a instalação proposta é justificável.
  • Assegure-se que a instalação proposta é viável.
  • Coordene o planejamento com outros provedores de instalações.
  • Mantenha consulta pública durante o processo de planejamento da instalação.

Gerenciamento

  • Maximize o acesso e o alvo de oportunidades para atendimento de ampla faixa de necessidades de diferentes grupos de idade.
  • Desenvolva um plano de gerenciamento que reflita as estratégias operacionais e as prioridades do projeto.

Projeto

  • Desenvolva um resumo do projeto que reflita as necessidades dos usuários potenciais e da equipe de administração.
  • Projete a instalação de forma prática, flexível, multifuncional, com eficiência em energia e economia de manutenção.
  • Integre a instalação com as construções adjacentes e com o ambiente local.

Financiamento

  • Obtenha fundos de capital de diversas fontes.
  • Acesse a viabilidade financeira de curto e longo prazo face ao propósito da instalação, filosofia de operação e projeção de custos operacionais.
  • Detalhe a manutenção da instalação por meio de um plano de gerenciamento dos ativos.

topo

Fundos de Capital

Fundos de capital para instalações de esportes e recreação podem levantadas das seguintes fontes:

Ministério dos Esportes e Recreação

O governo local e grupos comunitários podem buscar até 1/3 de contribuição para aprimorar ou construir uma nova instalação para esportes e recreação. Contate seu escritório local do MSR (Ministry of Sports and Recreation) para discutir o projeto e determinar qualificação para o recurso.

Comissão de Loterias

Os fundos podem estar disponíveis para centros de usos múltiplos que incluam salões de reuniões, quadras polivalentes, instalações para cuidados infantis, acessos para portadores de deficiências, instalações para grupos de jovens ou grupos femininos.

Autoridades governamentais locais

A disponibilidade de fundos varia de conselho a conselho. A contribuição é requerida pelo grupo solicitante em dinheiro ou em espécie (isto é, na forma de trabalho). Contate a administração de seu governo local.

Departamento de Educação da WA (Western Austrália)

Fundos podem estar disponíveis para instalações de uso compartilhado onde o projeto é uma joint venture entre a autoridade governamental local e o Departamento de Educação. Procure o setor de instalações do Departamento de Educação e também o escritório regional do MSR.

O Setor Privado

Interesses privados tais como igrejas, empresas industriais / comerciais ou de serviços, empreendedores ou importantes empregadores na comunidade podem contribuir com fundos para instalações públicas de esportes e recreação.

Comunidade Local

Fundos comunitários podem ser obtidos das seguintes fontes:

  • Contribuições de grupos de usuários potenciais
  • Atividades para levantamento de fundos
  • Trabalhos voluntários
  • Doações de materiais e serviços
  • Doações financeiras
  • Patrocínios
topo

Sócios Potenciais para Instalações de Esportes e Lazer

topo

Glossário

Co-localização.
Localizar / integrar duas ou mais instalações na mesma área ou em área adjacente.

Consulta à Comunidade
O processo envolvendo a comunicação entre acionistas e autoridades com grupos e indivíduos da comunidade ao longo do processo de planejamento.

Conceito de Projeto
Desenhos preliminares que apresentam o conceito do projeto.

Resumo do Projeto
Um conjunto de instruções do cliente para o projetista ou equipe de projeto resumindo o que o cliente espera que a instalação atenda.

Componentes da instalação
As diversas áreas funcionais dentro da estrutura principal da instalação.

Estudo de viabilidade
Análise crítica de uma proposta para construir uma instalação que testa a praticidade / viabilidade da proposta.

Provisão Compartilhada
Mútua cooperação entre duas ou mais partes para planejar, projetar e, em alguns casos, gerir uma instalação.

Plano de Gerenciamento
Um esboço de assuntos gerenciais, indicando direcionamentos e como a instalação será gerida e utilizada.

Análise das necessidades
Uma análise da necessidade / demanda para instalações de recreação e serviços podendo ser genérica ou específica da instalação.

Filosofia Organizacional
Os valores da organização que suporta a provisão da instalação.

Plano de Recreação
Uma descrição de políticas, estratégias e metodologias para lidar com a provisão de serviços de instalações de esportes e recreação de uma forma predeterminada.

Projeto esquemático
Desenhos detalhados, em escala, elaborado por um projetista profissional ou arquiteto.

Indicadores sociais
Características demográficas e sociais que influenciam a demanda por serviços, tais como tamanho da população, idade, sexo, etnia, mobilidade, estrutura familiar, habitação, educação e renda familiar.

topo


Recursos do MSR

O Ministério dos Esportes e Recreação da Australia possui guias de planejamento de instalações disponíveis por solicitação.

Recreation Planning Guide / Guias de Planejamento em Recreação

How to... Appoint and Manage a Design Consultancy......Como Selecionar e Administrar uma Consultoria de Projeto
How to… Develop a Management Plan......Como Desenvolver um Plano de Gerenciamento
How to… Prepare a Project Design Brief......Como Preparar um Resumo de Projeto
How to…Undertake a Feasibility Study......Como Submeter um Estudo de Viabilidade
How to…Undertake a Needs Assessment......Como Submeter uma Análise de Necessidades
How to... Undertake Community Consultation......Como Submeter uma Consulta Comunitária
Focus on... Indoor Lighting......Foco na Iluminação Interna
Focus on... Indoor Surfaces......Foco em Pisos Cobertos
Focus on… Outdoor Surfaces......Foco em Superfícies ao Ar-Livre
Focus on... Recreation Planning......Foco em Planejamento de Recreação
Focus on Swimming Pool Heating......Foco em Aquecimento de Piscinas
Sport Dimensions for Playing Areas......Dimensões de Áreas de Jogos

topo



LEITURA COMPLEMENTAR

Getting it right ¯ A Guiding to a Planning and Developing Sport and Recreation Facilities. . Department of Tourism, Sport and Racing (Queensland) and Hillary Comission for Sport, Fitness and Leisure (New Zealand) 1994.

Establishing and Managing Sport and Recreation Facilities. Department of Tourism, Sport and Racing (Queensland) 1995.

Recreation and Sport Planning and Design: A Guidelines Manual. Daly, J., Recreation, Sport and Racing (South Australia) 1995.

Community Recreation Centres: A Planning and Design Manual. Department of Sport and Recreation (Victoria) 1988.

Key Issues in the Planning and Design of Major Indoor Leisure Facilities. Marriot, K.; Lacey, P; Leisure Industry Information Bulletins 2.1 Sport and Recreation Victoria1995.

Observação: Este documento é um sumário dos assuntos relacionados com o planejamento para instalações de esportes e recreação. Seu conteúdo não deve ser usado como substituto ao aconselhamento profissional.

    


topo